domingo, 2 de dezembro de 2012

Tatuagem


 



    A proibição de tatuagem é encontrado na Torá: "Você não deve fazer cortes na sua carne para os mortos, ou incisão marcas em vós: Eu sou o Senhor" (Levítico 19:28).

É a segunda parte deste versículo da qual deriva a proibição geral contra a tatuagem. Desde o início, há discordância sobre o que exatamente faz tatuagem um ato proibido. O autor anônimo de uma mishná [uma declaração individual na compilação conhecida como a Mishná] afirma que é o carácter duradouro e permanente da tatuagem que o torna um ato culposo: "Se um homem escreveu [na pele] picado em escrever , ele não é culpado, a menos que ele escreve e pica-lo com tinta ou olho-pintura ou qualquer coisa que deixa uma marca duradoura "(Mishná Makkot 3:6).


Mas o rabino Simeon ben Judá discorda e diz que é a inclusão do nome de D'us que o torna um ato culposo: "Rabi Simeão ben Judah diz em nome de Rabi Simeão: Ele não é culpado, a menos que ele escreve lá [o nome de um deus ], porque está escrito: 'Ou inciso marcas em vós: Eu sou o Senhor' "(ibid.).

A Gemará [isto é, o Talmude Babilônico (BT)] continua a debater se é a inclusão do nome de D'us ou de uma divindade pagã que o torna um ato culposo.

Maimônides vê claramente a origem desta proibição como um ato de idolatria. Ele inclui-lo em sua seção sobre a idolatria e depois afirma explicitamente: "Este era um costume entre os pagãos que marcaram-se para a idolatria ...." Mas, [Maimônides] conclui que independentemente da intenção, o ato de tatuagem é proibida (Mishneh Torá, Leis da Idolatria 12:11).


Se esta pratica evoca uma serimonia pagã dos mortos não devemos tela como sinal em nossa pele conectando a nós mesmo com o lado da morte e impedindo que as bençãos de D'us venha completamente sobre nós.
 A tatuagem não pode ser motivo de pré conceito mas sim devemos levar para nós esta proibição da Torá deixando aqueles que por terem uma alma judaica farão techuvá no futuro pela graça do Bendito Seja Ele.

 
.... - .. ., .